Irã chama decreto migratório americano de "vergonhoso"

Teerã, 30 Jun 2017 (AFP) - O ministro iraniano das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, afirmou nesta sexta-feira que o decreto migratório do governo dos Estados Unidos contra cidadãos de seis países muçulmanos é "vergonhoso".

"Estados Unidos agora proíbem as avós iranianas de encontrar seus netos, uma demonstração verdadeiramente vergonhosa da hostilidade cega em relação a todos os iranianos", escreveu Zarif no Twitter.

Na quinta-feira entraram em vigor as medidas anti-imigratórias para proibir temporariamente a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de seis países de maioria muçulmana (Síria, Líbia, Irã, Sudão, Somália e Iêmen).

Caso as pessoas consigam justificar "uma relação válida com uma pessoa ou uma instituição nos Estados Unidos" poderão entrar no país. Isto inclui os pais e irmãos, mas não avós ou tios.

Com mais de um milhão de pessoas de origem iraniana morando nos Estados Unidos, as novas medidas do governo do presidente Donald Trump provocaram preocupação entre as famílias iranianas.

Muitos cidadãos iraniano-americanos criaram a hashtag #GrandparentsNotTerrorists (#AvósNãoTerroristas) como protesto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos