Pentágono adia ingresso de transgêneros nas Forças Armadas

Washington, 1 Jul 2017 (AFP) - O secretário americano de Defesa, Jim Mattis, decidiu adiar por seis meses o ingresso de recrutas transgêneros nas Forças Armadas, informou o Pentágono nesta sexta-feira.

Ashton Carter, antecessor de Mattis, havia decidido no ano passado que as forças militares passariam a aceitar recrutas transgêneros a partir de 1º de julho de 2017, mas o processo foi adiado e não há unanimidade entre as diferentes armas.

Mattis "aprovou hoje uma recomendação para adiar o acesso de pessoas transgênero até 1º de janeiro de 2018", assinala a porta-voz do Pentágono Dana White.

"Os serviços revisarão os plano de acesso e avaliarão o impacto da integração de pessoas transgênero na preparação e letalidade de nossas forças".

Na semana passada, Dana White disse que não havia unanimidade entre Exército, Força Aérea, Marinha e Fuzileiros sobre o calendário do ingresso dos transgêneros. "Os diferentes serviços apresentaram posturas diferentes. Alguns pediram mais tempo (...). Houve todo tipo de recomendações".

Segundo estimativas do departamento de Defesa, há entre 2.500 e 7.000 transgêneros entre os 1,3 milhão de militares na ativa dos EUA, gente que declarou sua orientação sexual após a entrada em serviço.

Até o ano passado, estes militares podiam ser expulsos das Forças Armadas por revelar suas inclinações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos