Supremo da Venezuela quer submeter Ortega a detector de mentiras

Caracas, 15 Jul 2017 (AFP) - O Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) da Venezuela citou nesta sexta-feira a procuradora-geral, Luisa Ortega, para que se submeta a um detector de mentiras como parte do processo que pode levar a sua destituição.

"O Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) admitiu o teste do polígrafo solicitado por (defensor) Tarek William Saab (...), que deverá ser realizado (...) como parte do processo contra a procuradora-geral por supostas faltas graves no exercício de seu cargo".

O TSJ, acusado de servir ao chavismo, citou Ortega para se submeter ao teste na próxima segunda-feira, na sede da polícia científica (CICPC).

O deputado governista Pedro Carreño pediu a destituição de Ortega por ter mentido ao afirmar que não apoiou a designação de 33 magistrados do TSJ.

Ortega considera que o processo é uma "perseguição", e destaca que o TSJ proibiu sua saída do país e congelou seus bens.

O procuradora-geral, uma chavista histórica que rompeu com o governo do presidente Nicolás Maduro, afirma que jamais firmou a ata de seleção destes magistrados, que foram designados pelo Parlamento em dezembro de 2015, quando ainda estava sob o controle do chavismo.

Ortega se distanciou de Maduro há três meses e meio, após denunciar uma "ruptura da ordem constitucional" por decisões do TSJ que retiraram competências do Legislativo, agora dominado pela oposição.

Desde então, a onda de protestos contra Maduro já deixou 95 mortos.

Ortega se tornou uma férrea adversária de Maduro, contrária à Assembleia Constituinte convocada pelo presidente por considerar que o processo atenta contra a democracia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos