ONU inclui grupos armados sírios na lista de sancionados

Nações Unidas, Estados Unidos, 21 Jul 2017 (AFP) - O Conselho de Segurança da ONU incluiu nesta quinta-feira dois grupos armados da Síria, duas empresas de câmbio e quatro pessoas, à sua lista negra de sancionados por supostos vínculos com o grupo Estado Islâmico e com a Al-Qaeda.

Os oito estavam no anexo de uma resolução redigida pelos Estados Unidos para combater o terrorismo e adotada de forma unânime pelo Conselho.

Dois grupos que lutam na Síria (Jaysh Jalid Ibn al Waleed, vinculado ao EI, e Jund al Aqsa, que também se associou recentemente ao mesmo grupo) também estão na lista.

Jaysh Jalid Ibn al Waleed está presente na parte sul da Síria, enquanto que os combatentes do Jund Al Aqsa foram expulsos da província de Idlib no começo do ano e agora operam no bastião do EI, a cidade de Raqa.

Ambos os grupos são considerados protagonistas secundários no complexo conflito sírio, que começou há seis anos e no qual participa uma grande quantidade de grupos extremistas.

A casa de câmbio de Hanifa, situada na localidade síria de Albu Kamal, também entrou na lista, assim como a empresa cambial síria Al Thahab, acusada de mobilizar recursos a favor do EI.

Os indivíduos que também foram incluídos são: Oman Rocham e Muhammad Bahrun Naim Anggih Tamtomo por terem participado em ataques terroristas; Malik Ruslanovich Barkhanoev e Murad Iraklievich Margoshvili, que operaram na região do Cáucaso na Rússia e na Síria.

Atualmente há 252 indivíduos e 76 entidades na lista de sancionados da ONU por supostos vínculos com o EI e a Al-Qaeda. Seus ativos são congelados e sobre eles recai uma proibição global para viajar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos