Hungria promete defender Polônia diante da 'inquisição' da UE

Bucareste, 22 Jul 2017 (AFP) - O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, prometeu neste sábado defender a Polônia diante "da inquisição" de Bruxelas, em um momento em que o governo de Varsóvia se expõe a sanções da União Europeia por uma polêmica reforma judicial.

"No interesse da Europa e no espírito da antiga amizade húngaro-polonesa, a campanha de inquisição contra a Polônia nunca pode levar ao sucesso", afirmou o líder populista durante uma visita à Romênia.

"A Hungria utilizará todos os meios legais possíveis dentro da União Europeia para mostrar sua solidariedade com os poloneses", insistiu em um discurso na Universidade de verão de Baile Tusnad, uma cidade da Transilvânia com uma significativa minoria húngara.

O Senado polonês, controlado pelos conservadores no poder, aprovou neste sábado uma polêmica reforma da Suprema Corte, ignorando as advertências da União Europeia, os apelos de Washington e manifestações populares.

A lei relativa à Suprema Corte chega após outros dois textos controversos, votados em 12 de julho.

A Comissão Europeia pediu a Varsóvia que "suspendesse" a reforma, ameaçando com possíveis sanções como a suspensão do direito ao voto da Polônia dentro do bloco.

mg-at-nla/ole/mct/ra/bc/db

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos