Odebrecht tem que sair do Peru, diz vice-presidente

Lima, 22 Jul 2017 (AFP) - O primeiro vice-presidente peruano, Martín Vizcarra, assegurou neste sábado que a empreiteira Odebrecht não pode continuar trabalhando no Peru por estar envolvida em casos de corrupção de funcionários de alto escalão, incluindo ex-presidentes.

"A Odebrecht, uma empresa que claramente cometeu atos de corrupção, não pode continuar trabalhando no Peru. Tem que sair e assim está estabelecido nas leis", disse Vizcarra à rádio RPP.

"Qualquer empresa que tenha demonstrado atos de corrupção não pode trabalhar (no país). Empresa corrupta não pode trabalhar no Estado", assinalou firmemente Vizcarra.

O vice-presidente considerou que o governo deve mostrar uma atitude sincera de luta contra a corrupção para recuperar a confiança da população.

Em janeiro, o governo peruano promulgou uma lei que proíbe a contratação de empresas cujos membros tenham sido condenados por crimes de corrupção como suborno, lavagem de dinheiro, mineração ilegal, crime organizado e terrorismo.

A Odebrecht admitiu ter pago 29 milhões de dólares no Peru para ganhar a licitação de obras públicas entre 2005-2014, período que compreende os governos de Alejandro Toledo, Alan García e Ollanta Humala.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos