William e Harry tiveram conversa 'curta' com Diana no dia de sua morte

Em Londres

  • Reuters

Os príncipes William e Harry da Inglaterra revelaram que falaram brevemente com sua mãe, a princesa Diana, no dia da sua morte, e reconheceram que essa "curta" conversa continuava muito presente nas suas lembranças 20 anos depois.

"Foi ela que ligou, de Paris, não lembro o que disse, mas provavelmente lamentarei para o resto da minha vida que essa ligação tenha sido tão curta", explicou o príncipe Harry à rede ITV para um documentário dedicado a sua mãe, falecida em 31 de agosto de 1997.

O documentário, chamado "Diana, nossa mãe: sua vida e seu legado", será transmitido na segunda-feira no Reino Unido.

O príncipe William tinha 15 anos, e seu irmão 12, quando Diana e o namorado, Dodi al-Fayed, morreram em um acidente de carro em um túnel de Paris enquanto eram perseguidos em alta velocidade por paparazzi.

Os exames realizados após o acidente mostraram que o motorista, Henri Paul, que também morreu na colisão, apresentava uma alta taxa de álcool no sangue.

Os dois príncipes estavam em Balmoral, a residência da rainha Elizabeth II na Escócia. Durante a conversa, William contou à sua mãe sobre os "bons momentos" que estavam passando.

"Harry e eu tínhamos pressa para nos despedirmos, para dizer 'até logo'... Se eu soubesse o que ia acontecer, evidentemente não teria sido tão indiferente", disse William à ITV.

"Mas esta ligação marcou para sempre o meu espírito, muito", confessou o duque de Cambridge.

No documentário, os príncipes também relembram momentos felizes, como quando ela ia buscá-los na escola e os levava para dar passeios secretos por Londres.

"Uma das mães mais brincalhonas"

William e Harry descreveram a imagem de uma mãe dedicada, encantadora e divertida, que gostava de fazer brincadeiras, incluindo quando convidou três das supermodelos mais conhecidas - Naomi Campbell, Cindy Crawford e Christy Turlington - para receber William em casa no dia de seu aniversário.

"Fiquei vermelho e não soube o que dizer", contou William à ITV. "Acho que quase caí subindo as escadas", afirmou.

Harry a descreve como "uma das mães mais brincalhonas".

"Uma das coisas que me ensinou foi 'pode ser o quão brincalhão quiser, simplesmente não deixe que te irritem'", recordou.

"Nossa mãe era uma piadista, quando todo mundo me diz 'se era divertida, nos dê um exemplo', tudo o que escuto é a sua risada na minha cabeça", acrescentou.

Decididos a mantê-la viva na memória, começaram a chamá-la de "avó Diana" para os filhos de William - o príncipe George, de quatro anos, e a princesa Charlotte, de dois.

"É importante que saibam quem era e que existiu", disse William.

"Agora temos mais fotos suas em casa e falamos dela", explicou.

Pelo 20º aniversário da morte de Diana, os príncipes anunciaram no início do ano que montariam um comitê para arrecadar fundos com o objetivo de erguer uma estátua da princesa de Gales.

A estátua deve ser construída nos jardins públicos do Palácio de Kensington de Londres, onde Diana morava.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos