Líder da oposição pede a militares venezuelanos que não apoiem a Constituinte

Caracas, 26 Jul 2017 (AFP) - O líder opositor Leopoldo López pediu nesta quarta-feira aos militares venezuelanos que retirem seu apoio à Assembleia Constituinte convocada pelo presidente Nicolás Maduro e cujos integrantes serão eleitos no próximo domingo.

"Eu os convido a não ser cúmplices da aniquilação da República, de uma fraude constitucional, da repressão", afirmou López, em prisão domiciliar desde 8 de julho depois de passar três anos e cinco meses na prisão.

Em um vídeo gravado e postado no Twitter, o dirigente pede à Força Armada que desative seu plano de segurança para as eleições de domingo.

"Tenham a segurança de que contarão com os cidadãos e a Constituição", garantiu López, horas antes do início de uma greve geral de 48 horas convocada pela oposição para obrigar Maduro a suspender as votações.

Esta é a primeira mensagem em vídeo do político depois de sua libertação.

O fundador do Partido Vontade Popular expressou sua convicção de que Maduro não conseguirá instalar a assembleia para reformar a Carta Magna.

avs-axm/yow/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos