India liberta francesa vinculada a assassinato de senador chileno

Nova Délhi, 27 Jul 2017 (AFP) - A francesa Marie-Emmanuelle Verhoeven, sobre quem pesava um pedido de extradição ao Chile pelo assassinato do senador Jaime Guzmán Errázuriz, foi libertada pelas autoridades da Índia e viajou a Paris, informaram à AFP fontes próximas ao caso.

O ministério de Assuntos Exteriores indiano informou que Verhoeven, que estava detida no país desde fevereiro de 2015, foi libertada a pedido da França por razões de saúde, apesar da queixas expressas pelo governo do Chile à Índia por não satisfazer seu pedido de extradição.

O Chile tentava a extradição da francesa por seu suposto vínculo com a conspiração para assassinar o senador Jaime Guzmán Errázuriz, em 1 de abril de 1991.

O senador era um homem próximo ao ditador chileno Augusto Pinochet.

Seu assassinato foi atribuído a um grupo de extrema esquerda, no qual Verhoeven era conhecida como "comandante Ana", segundo investigadores chilenos.

Essa é a segunda vez que Verhoeven evita a extradição. Em janeiro de 2014, quando estava detida em Hamburgo, as autoridades alemães negaram o pedido do Chile.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos