ONU lamenta que ajuda não chegue aos civis na Síria

Nações Unidas, Estados Unidos, 27 Jul 2017 (AFP) - Três meses após serem estabelecidas zonas de segurança na Síria por parte de Irã, Turquia e Rússia, centenas de milhares de civis continuam sem receber ajuda humanitária, lamentou a ONU nesta quinta-feira.

Nenhum comboio com ajuda chegou em julho aos civis nas 11 zonas de segurança, declarou ao Conselho de Segurança a subsecretária-geral para Assuntos Humanitários, Ursula Mueller.

Mueller acusou o governo sírio de bloquear os comboios de ajuda. Também acusou os grupos armados de obstaculizar o acesso dos civis a esses comboios, em particular em Idlib e em localidades do leste da Síria.

"Apesar da redução da violência, não conseguimos aumentar de maneira notável o alcance" da ajuda, declarou.

Durante os últimos dois meses, pouco mais de um terço de um milhão de sírios que vive em zonas sitiadas, até as quais é difícil de chegar, recebeu ajuda, afirmou.

A situação é particularmente difícil em Raqa, onde entre 20.000 e 50.000 pessoas estão presas em meio à ofensiva dos Estados Unidos e de seus aliados para recuperar a cidade, nas mãos do grupo extremista Estado Islâmico (EI).

"Não tem jeito de sair", declarou Mueller, que mencionou o perigo das minas, os bombardeios, os atiradores de elite e as operações aéreas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos