Cineasta venezuelano é detido por caso de piloto acusado de terrorismo

Caracas, 29 Jul 2017 (AFP) - Um cineasta venezuelano foi detido pelo caso do piloto Óscar Pérez, o policial que atacou a sede do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) com granadas, usando um helicóptero, e que é acusado de terrorismo.

Oscar Rivas Gamboa foi diretor do filme venezuelano "Muerte Suspendida", no qual Pérez atuou em 2015.

"Não somos políticos, servimos ao público (...). Ele foi detido pela CICPC (Polícia Científica) ao tentar vinculá-lo com o caso de Óscar Pérez", denunciou seu filho por meio do Instagram neste sábado (29).

O cineasta - reiterou seu filho - recebeu uma intimação do CICPC na quinta-feira à noite (27) e, quando se apresentou na sexta-feira, foi preso.

Sua defesa denunciará a prisão ao Ministério Público, assegurou a equipe de Rivas à AFP.

Em 27 de junho, Pérez e outros homens não identificados sobrevoaram Caracas em um helicóptero da Polícia Científica, além de lançarem quatro granadas contra o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) e efetuarem disparos contra a sede do Ministério do Interior. A ação não deixou vítimas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos