Autor de ataque em Hamburgo agiu motivado por 'islamismo radical'

Berlim, 31 Jul 2017 (AFP) - O homem que matou a facadas uma pessoa e feriu outras seis em um supermercado em Hamburgo, no norte da Alemanha, agiu por "islamismo radical", indicou nesta segunda-feira a Procuradoria antiterrorista alemã.

"Existe uma motivação islamita radical para o ataque. Segundo pistas da investigação em curso, o acusado se radicalizou (...) e decidiu no dia do ataque cometer um assassinato e morrer como mártir", informou a Procuradoria.

Segundo a mesma fonte, Ahmad A., de 26 anos, não tinha ligação com o grupo Estado Islâmico ou com outras organizações terroristas.

O homem matou uma pessoa com uma faca e deixou vários feridos na sexta-feira (28), em Hamburgo, reacendendo o debate sobre a recepção de imigrantes na Alemanha, uma vez que o agressor teve negado o estatuto de refugiado no país.

Na sexta-feira à tarde, o homem entrou em um supermercado em uma rua comercial da zona norte de Hamburgo, roubou uma faca de cozinha e avançou na direção de um homem de 50 anos, que foi esfaqueado até a morte.

Ainda dentro do mercado, ele feriu mais dois clientes, antes de atacar outras pessoas na rua.

O ataque terminou com um morto e seis feridos, alguns em estado grave.

"Era conhecido como islamita, mas não como jihadista, pelos serviços de segurança", afirmou o ministro do Interior de Hamburgo, Andy Grote.

Em outra ocorrência registrada na madrugada de domingo, um curdo iraquiano armado com um fuzil M16 matou um segurança e feriu quatro pessoas na entrada de uma boate na Alemanha, antes de ser morto, segundo informou a polícia, que descartou a motivação "terrorista".

O agressor, de 34 anos, e que morava na região alemã próxima à fronteira com a Suíça desde 1991 com o estatuto de refugiado político, era genro do dono da discoteca.

O homem, que já havia sido condenado por violência e tráfico de drogas, teve uma briga com um funcionário da boate e deixou o local ou foi expulso pelos seguranças.

Ele retornou com um fuzil M16 e abriu fogo contra o segurança, "um tiro no rosto", que matou a vítima, segundo o procurador.

Em seguida atirou contra a entrada do local. Os outros seguranças conseguiram fechar a porta que levava à pista da boate, que tinha centenas de clientes.

Três pessoas ficaram feridas pelas rajadas de M16.

O atirador apontou então para a polícia, enviada para a boate, em uma zona industrial de Konstanz.

Um integrante das forças de segurança foi atingido por um tiro e ficou ferido, mas sobreviveu graças ao colete a prova de balas.

A polícia conseguiu matar o criminoso. As autoridades afirmaram que o balanço teria sido muito mais grave se as portas da discoteca estivessem abertas e se a força de segurança não fosse alertada rapidamente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos