Venezuelanos em Miami afirmam que seu país foi "sequestrado"

Miami, 31 Jul 2017 (AFP) - Após a votação da Constituinte no último domingo, venezuelanos em Miami denunciaram nesta segunda-feira que seu país foi "sequestrado" pelo presidente Nicolás Maduro, acusado de ter um perfil "ditatorial".

Esses venezuelanos consideram o papel dos cidadãos no exterior crucial para que a oposição consolide o apoio que precisa da comunidade internacional.

"Nós, venezuelanos no exterior, cobramos mais força porque somos todos embaixadores; somos a voz dos venezuelanos que estão sequestrados por Maduro", disse Yoslin Sánchez, coordenadora em Miami do partido opositor Vontade Popular (VP), liderado pelo opositor Leopoldo López.

De acordo com o governo, mais de oito milhões de pessoas elegeram no domingo os 545 responsáveis por redigir uma nova Constituição. A oposição, assim como a Procuradoria e nove países, não reconheceram o resultado e denunciam uma fraude de Maduro para manter-se no poder.

"Temos que alçar nossa voz, sobretudo aqui no sul da Flórida, onde temos sido apoiados por congressistas e pelo governador", acrescentou Sánchez à AFP.

Ele se referia às promessas do governador da Flórida, Rick Scott, assim como do senador estatal José Javier Rodríguez, de impulsionar leis que impeçam seu estado de negociar com empresas vinculadas à Venezuela.

Scott escreveu nesta segunda-feira no Twitter que os cidadãos da Flórida "estão com o povo da Venezuela e não tolerarão este ataque à liberdade e à democracia".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos