Ex-prefeito de Londres: Chávez devia ter matado oligarcas na Venezuela

Londres, 3 Ago 2017 (AFP) - O ex-prefeito de Londres, o trabalhista Ken Livingstone, afirmou nesta quinta-feira (3) que uma das causas da crise na Venezuela é porque Hugo Chávez "não matou todos os oligarcas".

Apelidado de "Ken, o Vermelho", Livingstone, de 72 anos, foi prefeito entre 2000 e 2008 e está suspenso da militância no Partido Trabalhista até que sejam concluídas investigações sobre declarações, nas quais afirmou que Adolf Hitler era sionista.

O falecido Hugo Chávez, presidente entre 1999 e 2013, "não matou todos os oligarcas", comentou.

"Havia 200 famílias que controlavam 80% da riqueza. Ele permitiu que elas continuassem vivendo", disse Livingstone em entrevista à emissora talkRADIO.

"Suspeito que muitos estão usando seu poder e seu controle sobre as importações e as exportações, os medicamentos e a comida, para enfraquecer (Nicolás) Maduro", completou, referindo-se ao sucessor de Chávez.

Quando a entrevistadora perguntou se estava defendendo o assassinato de pessoas, Livingstone respondeu: "não sou a favor de matar ninguém", mas alegou que, "se Chávez os tivesse matado, não teriam a possibilidade de enfraquecer o atual governo".

Ele insistiu em que o governo de Maduro não é uma ditadura.

Indagado pela AFP, o Partido Trabalhista não quis comentar as declarações de Livingstone, mas uma fonte frisou que o ex-prefeito não fala em nome da legenda.

ar-al/mb/cn/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos