Presidente em fim de mandato lidera eleições no Quênia; oposição rejeita resultados

Nairóbi, 9 Ago 2017 (AFP) - O presidente em fim de mandato, Uhuru Kenyatta, lidera com ampla vantagem as eleições no Quênia contra o seu opositor Raila Odinga, segundo os resultados parciais.

A oposição já anunciou que rejeita os resultados.

Dos 13 milhões de votos contabilizados pela Comissão Eleitoral (IEBC) - de um total 19,6 milhões de eleitores habilitados - o presidente Kenyatta, no poder desde 2013, recebeu 54,89% dos votos, contra 44,28% para Odinga, se impondo com uma vantagem de 1,3 milhão de votos.

No entanto, a oposição rechaçou os resultados parciais. Segundo o senador James Orengo, do partido Super Aliança Nacional (Nasa), os números anunciados carecem de validade por não estarem respaldados por documentos correspondentes da Comissão Eleitoral.

O próprio Odinga denunciou à imprensa "resultados fictícios" anunciados pela Comissão Eleitoral. "O sistema fracassou, rejeitamos os resultados publicados até o momento".

Para vencer no primeiro turno, um candidato deve obter a maioria absoluta e mais de 25% dos votos em pelo menos 24 dos 47 condados do país.

Na noite desta terça-feira, a comissão eleitoral ainda não havia divulgado a porcentagem de participação. Outros seis candidatos de menor expressão estavam na disputa, mas os seus votos não representavam mais de 1% do total, de acordo com a parcial da Comissão Eleitoral.

"Entramos agora na fase mais crítica do ciclo eleitoral", advertiu à noite o diretor da IEBC, Wafula Chebukati, pedindo que os cidadãos sejam pacientes.

"Quanto mais tarde anunciarem os resultados, mais nervosas ficarão as pessoas. A expectativa é muito alta em ambos os grupos, convencidos de que vão ganhar, e, portanto, será fundamental a forma como lidarão com essa expectativa", considerou Katherine Njoroge, eleitora de 39 anos que votou em Nairóbi.

Excetuando-se 20 mesas de votação na região de Turkana que ficaram com o acesso comprometido por conta das fortes chuvas e de alguns atrasos em sua abertura, a eleição ocorreu sem incidentes na maior parte das 41.000 seções eleitorais.

Também estão sendo eleitos governadores, deputados, senadores e representantes locais.

Raila Odinga, de 72 anos, afirma que em 2007 teve a vitória roubada e rejeitou os resultados da eleição de 2013, antes da validação pela Suprema Corte.

ndy-fal-cyb/cb/lr/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos