Preveem temporada de furacões muito ativa no Atlântico Norte (NOAA)

Washington, 9 Ago 2017 (AFP) - A temporada 2017 de furacões no Atlântico Norte pode ser a mais ativa desde 2010, informou nesta quarta-feira a Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA), que revisou para cima as suas previsões anteriores do número de tempestades tropicais até o fim de novembro.

A NOAA estima que agora haja 60% de chances de que a temporada de furacões seja de uma intensidade superior à normal, enquanto em maio essa probabilidade era de 45%.

A agência prevê atualmente a ocorrência de entre 14 e 19 tempestades tropicais, com ventos de pelo menos 63 km/h, contra os de 11 a 17 anteriores.

Entre cinco e nove destas tempestades poderiam se tornar furacões, e destes, entre dois e cinco poderiam alcançar a categoria três ou mais na escala Saffir-Simpson de cinco, com ventos de pelo menos 178 km/h.

"Entramos agora na alta temporada, quando acontece a maior parte das tempestades" no Atlântico Norte, disse Gerry Bell, o principal meteorologista do Centro de Previsão do Clima da NOAA.

"Os ventos e as correntes atmosféricas na região tropical do Atlântico e do Caribe, onde se formam muitas tempestades, são muito propícias para uma temporada mais ativa do que o normal", sustentou durante coletiva por telefone.

"Isto se explica em parte pela baixa probabilidade de um reaparecimento este ano da corrente quente equatorial do Pacífico El Niño, que contribui a um corte de ventos que desativa a formação das tempestades e furacões", acrescentou Bell.

O especialista citou também outros fatores, como uma temperatura acima da normal das águas na zona tropical do Atlântico.

Para as primeiras nove semanas da temporada de furacões, que se estende desde 1º de junho até o fim de novembro, já foram formadas seis tempestades tropicais.

Durante uma temporada normal para o período de referência 1981-2010, se registraram uma média de 12 tempestades tropicais por ano, seis das quais alcançaram a força de um furacão. Destas, três foram de grande potência, da categoria três a cinco.

Das seis tempestades tropicais desta temporada, uma aconteceu em abril, duas em junho, duas em julho e uma em agosto.

Duas delas chegaram à costa americana: Cindy alcançou o Texas e a Luisiana em 22 de junho, gerando fortes chuvas e causando inundações e múltiplos tornados.

O primeiro furacão da temporada 2017 poderia ser Franklin, atualmente uma tempestade tropical, e poderia se tornar um furacão ao chegar à costa mexicana na noite desta quarta-feira.

A temporada de 2016 foi a mais ativa desde 2012, com a formação de 15 tempestades tropicais, das quais sete se converteram em furacões, quatro muito potentes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos