Colisão de trens no Egito deixa mais de 30 mortos e 100 feridos

Cairo, 11 Ago 2017 (AFP) - Pelo menos 36 pessoas morreram, e 123 ficaram feridas na colisão de dois trens nesta sexta-feira (11), na periferia da cidade de Alexandria, no norte do Egito - informa o último boletim divulgado pelo Ministério egípcio da Saúde.

A maioria dos feridos foi levada para diferentes hospitais de Alexandria, acrescenta a nota divulgada pelo Ministério.

Em imagens exibidas pela televisão pública, um dos trens aparece parcialmente virado; um vagão, descarrilado; e membros das equipes de resgate, transportando mortos e feridos.

Depois do acidente, os feridos eram retirados dos vagões e colocados em cobertores dispostos ao longo de ambos os lados da via em um campo na periferia dessa grande cidade mediterrânea. Muitos dos sobreviventes se encontravam em estado de choque.

Cerca de 25 ambulâncias foram enviadas para a área do acidente, afirmou Ahmed El-Ansari, da equipe de socorristas.

A colisão teria sido causada pela parada de um dos trens na via férrea, após sofrer uma pane, informou a televisão pública, citando uma fonte do Ministério dos Transportes. O segundo trem teria batido na sequência, ainda segundo a mesma fonte.

Um dos trens cobria o trajeto Cairo-Alexandria. O outro ligava a cidade de Porto Said, no leste, a Alexandria.

O ministro dos Transportes determinou a abertura de uma investigação para esclarecer as causas do acidente, prometendo "cobrar uma prestação de contas" dos responsáveis, noticiou a televisão pública.

- Rede ferroviária obsoleta -O Egito registra, com frequência, graves acidentes de estrada, ou ferroviários, devido a um trânsito caótico, à circulação de veículos velhos e malconservados, o mesmo valendo para estradas e vias férreas, em péssimas condições de preservação e com sinalização precária.

Este foi um dos mais letais acidentes ferroviários recentes no país.

Em novembro de 2013, o choque de um trem com um ônibus deixou 27 mortos no sul do Cairo. A maioria das vítimas voltava de um casamento.

Quase um ano antes, em novembro de 2012, um ônibus escolar bateu em um trem, em uma passagem de nível na província de Assiout, no centro do país. O episódio deixou 47 mortos.

Em agosto de 2006, pelo menos 58 egípcios morreram, e 144 ficaram feridos na colisão de dois trens que trafegavam na mesma via.

Há tempos, os egípcios criticam o governo por não conseguir reduzir os acidentes na de transporte e os problemas de infraestrutura.

Em 2002, o incêndio de um trem deixou 373 mortos, em um ponto 40 quilômetros ao sul do Cairo. Foi o pior acidente desse tipo na história do país e um dos mais graves no mundo nos últimos 20 anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos