Parlamento iraniano limita aplicação da pena de morte por tráfico de drogas

Teerã, 13 Ago 2017 (AFP) - O Parlamento iraniano aprovou, neste domingo (13), uma emenda para reduzir os casos passíveis de aplicação da pena de morte por tráfico de drogas.

O texto ainda precisa ser referendado pelo Conselho dos Guardiães da Constituição, uma instância dominada pelos conservadores.

Se aprovada, a emenda poderá salvar vários condenados que esperam no corredor da morte. Segundo o Parlamento, o substituto seria aplicado de forma retroativa.

A Anistia Internacional afirma que o Irã é um dos cinco países com mais execuções no mundo por casos de tráfico de drogas. A maioria delas é por enforcamento.

De acordo com a nova legislação, a produção, ou a distribuição, de heroína, de cocaína e de anfetaminas poderá ser castigada com a pena capital, se a carga apreendida passar de dois quilos. Hoje, o limite é de 30 gramas.

No caso do ópio e da maconha, o teto passa para 50 quilos, contra os atuais cinco quilos.

Em 2 de janeiro de 2009, 44 pessoas - todas condenadas por tráfico de drogas - foram enforcadas no Irã, em uma das maiores execuções em massa já realizadas na República Islâmica.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos