PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Macron: Polônia se coloca "à margem da UE" em "vários temas"

25/08/2017 08h45

Varna, Bulgária, 25 Ago 2017 (AFP) - O presidente francês Emmanuel Macron criticou nesta sexta-feira com dureza a rejeição polonesa a endurecer a diretriz sobre os trabalhadores deslocados, classificando de "novo erro" de Varsóvia, que se coloca "à margem" da Europa em "vários temas".

"A Polônia não é em absoluto o que define o rumo da Europa" afirmou Macron em encontro com a imprensa em Varna (Bulgária), no último dia de uma viagem pelo Leste europeu para angariar apoio para uma reforma da diretriz.

"O povo polonês merece algo melhor", acrescentou em resposta à posição da primeira-ministra nacionalista Beata Szydlo.

Szydlo afirmou nesta quinta-feira que Varsóvia rejeitaria "até o final" uma reforma da diretriz, "em interesse dos trabalhadores poloneses".

Macron disse que a Polônia se coloca "à margem" e "decidiu ir contra os interesses europeus em vários temas".

"A Europa foi construída para criar convergência, e esse é o sentido dos fundos de convergência que a Polônia recebe", disse o presidente francês.

"A Europa foi construída sobre liberdades públicas que hoje a Polônia infringe". Este Estado "decidiu isolar-se", acrescentou.

Macron, entretanto, se disse convencido de que a França conseguiria a maioria necessária para reformar e endurecer esta diretriz, para assim lutar contra o dumping social, como se comprometeu um sua campanha eleitoral.

leb-phs/roc/me.

Internacional