PUBLICIDADE
Topo

Berlim denuncia declarações racistas do partido nacionalista AfD

28/08/2017 10h35

Berlim, 28 Ago 2017 (AFP) - O chefe da diplomacia alemã denunciou nesta segunda-feira as declarações de um líder do partido de direita nacionalista AfD, que pediu para "se livrar" de uma autoridade do governo de origem turca, chamando-as de "inaceitáveis" e de aludir ao Terceiro Reich.

As palavras de Alexander Gauland, um dos dois líderes do movimento anti-imigratório e anti-islã para as eleições legislativas de 24 de setembro, "recordam as piores lembranças deixadas pelo nosso país" na história, declarou o ministro das Relações Exteriores, Sigmar Gabriel, citado por um de seus porta-vozes, Rainer Breul.

"Estes são erros verbais muito sérios, que não passam despercebidos na esfera internacional e são inaceitáveis para nós democratas", acrescentou.

Durante um comício de campanha no final de semana em Eichsfeld, na Turíngia (leste), onde o AfD registra seus melhores resultados, Gauland criticou as declarações da secretária alemã para a Integração, Aydan Özoguz, que recentemente rejeitou a ideia da existência na Alemanha de uma "cultura de referência" que deva ser adotada pelos imigrantes.

"É uma germano-turca que o diz. Só temos que convidá-la para Eichsfeld e mostrar-lhe o que tem de especial na cultura alemã", lançou Gauland a seus seguidores, "então não voltará mais aqui e, graças a Deus, poderemos nos livrar dela em Anatólia".

A direita populista do AfD e também, em menor grau, a direita moderada do partido da chanceler Angela Merkel fizeram da "cultura de referência" alemã a ser respeitada pelos imigrantes um tema de campanha, em um contexto de chegada de milhares de demandantes de asilo em território alemão.