EUA: criação de empregos em agosto caiu para 156.000 e desemprego subiu 4,4%

Washington, 1 Set 2017 (AFP) - A criação de empregos caiu nos Estados Unidos em agosto, a 156.000 postos enquanto a taxa de desemprego aumentou para 4,4%, segundo dados publicados nesta sexta-feira pelo Departamento de Trabalho.

A economia americana criou menos empregos no mês passado, quando os analistas esperavam 183.000 novas contratações e uma taxa de desemprego em 4,3%.

Não se espera que os números sejam bem-vindos na Casa Branca, uma vez que o presidente Donald Trump atribuiu a si mesmo o mérito pela criação de empregos e melhoria na economia desde que assumiu o cargo.

O presidente prometeu criar 25 milhões de empregos na próxima década, um objetivo considerado irrealista pelos economistas.

A passagem do furacão Harvey pelo Texas e parte da Louisiana "não teve nenhum efeito discernível sobre os números do emprego e desemprego em agosto", aponta o Departamento do Trabalho, indicando que quase todos os dados foram coletados antes da tempestade.

A criação de empregos ocorreu especialmente no setor industrial e na construção, bem como nos serviços e no setor da saúde.

Os salários subiram ligeiramente para US$ 26,39, frente aos 26,36 dólares em julho, um aumento de 0,1%, enquanto as projeções dos analistas eram de 0,2%.

Ao longo do ano, a progressão permanece modesta (+2,5%), pouco acima da inflação, que permaneceu inalterada em julho, em +1,4% ao ano, de acordo com o índice de preços baseado nos gastos de consumo ou índice PCE, medida preferida pelo Fed, publicada na quinta-feira.

O índice dos preços para o consumo se situa em 1,7%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos