Deputado da maioria presidencial francesa acusado de agredir representante socialista

Paris, 2 Set 2017 (AFP) - Um deputado do partido do presidente francês, Emmanuel Macron, foi acusado neste sábado de "violência voluntária" após uma discussão em Paris com um representante socialista.

M'jid El Guerrab, de 34 anos, é suspeito de ter dado dois golpes violentos com um capacete de moto na quarta-feira em Boris Faure, primeiro secretário da federação de franceses do exterior do Partido Socialista.

Depois de 24 horas de prisão preventiva, o deputado da República em Marcha do 9ª distrito dos franceses do exterior (Magrebe, África Ocidental) foi acusado de "violência voluntária (...) que supôs a incapacidade total de trabalho superior a oito dias", indicou uma fonte judicial.

Ambos os deputados se acusam mutuamente da agressão. Boris Faure, que foi "operado de emergência" segundo sua família, foi interrogado na sexta-feira no hospital pelos investigadores.

O socialista saiu neste sábado do hospital e tirou uma licença de 30 dias, segundo seu advogado, Patrick Klugman.

"El Guerrab lamenta naturalmente o rumo dos acontecimentos", declarou seu advogado, Yassine Yakouti, afirmando que o deputado "refuta ter começado a discussão".

A pedido da procuradoria de Paris, o deputado foi colocado sob controle judicial com a proibição de contatar a vítima.

Contatado pela AFP, M'jid El Guerrab admitiu na quinta-feira um gesto violento e disse lamentar "ter cedido à provocação". Segundo uma fonte próxima à investigação, o deputado explicou que se defendeu em resposta a uma agressão verbal e física de Boris Faure, que teria lhe chamado de "árabe sujo".

O caso poderia levar à expulsão de El Guerrab do partido da República em Marcha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos