Exército sírio quer quebrar cerco do EI na região de Deir Ezzor

Beirute, 4 Set 2017 (AFP) - O Exército sírio lutava nesta segunda-feira contra o grupo Estado Islâmico (EI) na província de Deir Ezzor para tentar quebrar o cerco dos extremistas ao redor de um território governamental, e de expulsá-los de um de seus últimos redutos na Síria.

Os extremistas do EI controlam a maior parte dessa província, no leste da Síria, assim como amplas zonas da cidade de mesmo nome. O EI mantém o cerco ao setor da cidade controlada pelo governo.

A organização já perdeu mais da metade de seu principal reduto na Síria, Raqa, alvo de uma ofensiva das forças curdo-árabes apoiadas pelos Estados Unidos. A expulsão da província de Deir Ezzor, rica em petróleo, deixaria o grupo com apenas poucas áreas sob seu controle.

Apoiadas pela Rússia, as tropas do governo avançaram até a cidade de Deiz Ezzor partindo de várias frentes. Segundo a emissora síria, nesta segunda-feira à tarde se encontravam a três quilômetros da localidade, e o governo já preparava carregamentos de mantimentos para seus moradores que vivem uma situação complicada.

O Exército alcançou a base da Brigada 137, cercada pelo EI, na periferia oeste da localidade, indicou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

"A linha de frente do Daesh (acrônimo árabe do EI) no oeste da província foi derrubado em vários pontos, permitindo um avanço rápido do Exército", assinalou uma fonte militar à AFP.

Segundo o OSDH, as forças do governo estavam em outra frente, a 12 km do aeroporto, e voltaram a abrir a estrada Deir Ezzor-Palmira-Damasco, que estava fechada há três anos.

- "Celebrações" -O governador da província, Mohamed Ibrahim Samra, citado pela agência de notícias Sana, afirmou que os moradores cercados pelos extremistas comemoraram a aproximação do Exército.

"Ontem houve em Deir Ezzor celebrações e festejo em todos os segmentos sociais diante da esperada vitória e do avanço do Exército sírio na periferia da cidade cercada", declarou.

O Ministério russo de Defesa também comentou o avanço das tropas sírias com a ajuda da aviação russa. "A derrota do EI na zona de Deir Ezzor e sua queda na cidade serão uma derrota estratégica para o grupo terrorista internacional na Síria", assinalou.

Horas depois, o Ministério, citado por agências de notícias russas, comunicou a morte de dois soldados russos por disparos do EI perto da província de Deir Ezzor, mas não indicou a data de seu falecimento.

Em meados de 2014, o EI assumiu o controle de grandes áreas da província de Deir Ezzor, incluindo os campos de petróleo, durante uma ampla amplia ofensiva do grupo na Síria e no vizinho Iraque.

No início de 2015, o EI também passou a controlar a cidade de Deir Ezzor e cercou as zonas que permaneceram sob controle do governo.

As estimativas indicam que 100.000 pessoas permanecem nas áreas da cidade controladas pelo governo sírio. Antes da guerra, Deir Ezzor tinha uma população de 300.000 pessoas.

O OSDH calcula que mais de 10.000 pessoas vivem nas partes da cidade controladas pelo EI, mas é difícil obter informações precisas a respeito.

O cerco gerou uma crise humanitária na cidade, onde faltam remédios e alimentos, e os preços dispararam.

O governo distribuiu ajuda por helicóptero e as Nações Unidas fazem o mesmo, mas a situação continua sendo muito difícil.

A reconquista de Deir Ezzor representaria uma vitória crucial para o governo de Bashar al-Assad, que obteve êxitos militares nos últimos meses com o apoio da Rússia.

sah-ayh/srm/me/acc/gm/cb/cc

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos