Presidência nega que Temer tenha feito parte de 'quadrilha'

São Paulo, 12 Set 2017 (AFP) - O presidente Michel Temer "não participou e nem participa de nenhuma quadrilha", afirmou a Presidência em comunicado após o vazamento de um suposto inquérito policial que o vincula a irregularidades junto com líderes do PMDB.

Temer tampouco fez parte de qualquer "estrutura com o objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagens indevidas em órgãos da administração pública".

O texto responde a versões que afirmam que um inquérito da Polícia Federal (PF) concluiu que o presidente "tinha poder de decisão" em seu partido, o PMDB, no Legislativo para colocar pessoas em cargos estratégicos e para articular com empresários beneficiados nos esquemas e receber valores de doações eleitorais, de acordo com o jornal Estado de São Paulo.

"O Presidente Temer lamenta que insinuações descabidas, com intuito de tentar denegrir a honra e a imagem pública, sejam vazadas à imprensa antes da devida apreciação pela justiça", aponta o comunicado.

Segundo o Estado de São Paulo, a PF também concluiu que Temer teria recebido 31,5 milhões de reais por "ventagens indevidas" e que um terço dessa quantia procede da Odebrecht.

A PF não se pronunciou sobre o inquérito, que, de acordo com o jornal, foi enviado nesta segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal para avaliação e que pode sustentar uma segunda denúncia do Ministério Público contra o presidente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos