China afirma apoiar esforços de Mianmar para "preservar a estabilidade"

Pequim, 12 Set 2017 (AFP) - A China afirmou nesta terça-feira que apoia os esforços das autoridades de Mianmar para "preservar a estabilidade" no oeste do país, onde a violência levou 370.000 muçulmanos rohingyas a buscar refúgio no vizinho Bangladesh.

"Acreditamos que a comunidade internacional deveria apoiar os esforços de Mianmar para preservar a estabilidade de seu desenvolvimento nacional", afirmou o porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, Geng Shuang.

A declaração foi feita um dia depois da afirmação do alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad Al Hussein, de que o tratamento que Mianmar reserva à minoria muçulmana rohingya se assemelha a um "exemplo de limpeza étnica de manual".

Os rohingyas, tratados como estrangeiros em Mianmar, país onde mais de 90% da população é budista, são considerados apátridas, apesar da presença de algumas famílias há várias gerações no país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos