Nova York revela plano para reduzir emissões de CO2

Nova York, 15 Set 2017 (AFP) - Nova York revelou nesta quinta-feira uma iniciativa que faria com que milhares de edifícios da cidade se tornassem mais eficientes em consumo de energia, o último passo no esforço da cidade por reduzir suas emissões de gases de efeito estufa.

O plano faria com que os donos de cerca de 14.500 edifícios que cobrem uma superfície de 2.300 metros quadrados modernizassem suas caldeiras, seus aquecedores de água, seus tetos e janelas sob pena de serem fortemente multados, em valores que variariam de acordo com o tamanho do edifício, explicou a prefeitura em um comunicado.

Um arranha-céu como o icônico edifício Chrysler teria que pagar uma multa de aproximadamente 2 milhões de dólares se exceder os parâmetros pré-fixados no uso de energia.

Segundo as novas regras, os donos dos prédios terão que se ajustar a esses padrões para o ano 2030.

"Devemos terminar com a dependência de nossos edifícios de combustíveis fósseis aqui e agora", afirmou o prefeito democrata, Bill de Blasio, no comunicado, acrescentando que estas medidas serão implementadas "para honrar o Acordo de Paris".

Esses 14.500 edifícios acumulam 24% das emissões de gases de efeito estufa de toda a cidade, de acordo com o gabinete do prefeito.

Por outro lado, o consumo de combustíveis fósseis através de caldeiras e aquecedores de água é a principal causa das emissões de gases na cidade: 42% do total.

Com as novas medidas as emissões se reduzirão em 7% para 2035.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos