Combatentes apoiados pelos EUA denunciam bombardeio russo na Síria

Beirute, 16 Set 2017 (AFP) - Os combatentes antiextremistas apoiados pelos Estados Unidos na Síria relataram, neste sábado (16), terem sido bombardeados por aviões do governo sírio e da Rússia no leste do país.

É a primeira vez que as Forças Democráticas Sírias (FDS) - uma coalizão curdo-árabe que combate o grupo Estado Islâmico (EI) na Síria - anunciam terem sido vítimas de um bombardeio russo.

Segundo elas, esses ataques aconteceram na província de Deir Ezzor, a última nas mãos do EI na Síria, onde esse grupo tenta resistir à dupla ofensiva do governo e das FDS.

A operação das tropas do governo apoiadas pela Aviação russa se concentra no oeste dessa província, especificamente na cidade de Deir Ezzor, sua capital. Já as FDS, apoiadas pelos aviões americanos, tentam expulsar o EI do leste da província.

"Nossas forças sofreram esta manhã um ataque da Força Aérea russa e do governo sírio na zona industrial [no nordeste da cidade de Deir Ezzor]. Seis dos nossos combatentes ficaram feridos", denunciaram as Forças Democráticas Sírias (FDS), em um comunicado.

"Enquanto nossas forças conseguem grandes vitórias contra o EI em Raqa (norte) e em Deir Ezzor (...), alguns tentam entorpecer o avanço das nossas tropas", acrescentaram.

Ao anunciar sua ofensiva contra o EI no leste da província de Deir Ezzor, as FDS garantiram que não há qualquer coordenação com as forças do governo Bashar al-Assad.

Segundo a coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, traçou-se uma linha na zona para evitar qualquer incidente entre os múltiplos atores envolvidos na guerra síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos