Caribe aguarda chegada de Maria, furacão 'extremamente perigoso'

Pointe-à-Pitre, 19 Set 2017 (AFP) - As Antilhas Menores, devastadas por Irma, se preparavam nesta segunda-feira para a chegada iminente de um novo furacão, Maria, que continua ganhando força e foi considerado "extremamente perigoso".

Maria passou para a categoria 4, em uma escala de 5, o que o transforma em um furacão "extremamente perigoso", segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos.

"É esperado que o olho e o intenso núcleo passem perto de Dominica nas próximas horas", alertou o NHC, com sede em Miami.

Com ventos máximos firmes de 215 km/h, Maria se intensificou rapidamente e está 70 km a leste de Dominica e 55 km a nordeste da Martinica, informou o NHC em seu boletim das 21H00 GMT (18H00 em Brasília).

Martinica passou nesta segunda-feira para o alerta "violeta", o nível máximo, que implica o confinamento da população.

"Tenho velas, lâmpadas e comida. Tenho verduras em conserva e gás. Se não houver eletricidade, aguentarei. As janelas estão fechadas, tudo está tapado", diz à AFP Anne-Marie, de 84 anos, moradora de Rivière-Salée, no sul de Martinica, preparada para a chegada do ciclone.

As autoridades francesas ordenaram a evacuação imediata das zonas de risco de Guadalupe, outra ilha francesa na região.

Maria atingirá "o extremo nordeste do Mar do Caribe na terça-feira e se aproximará de Porto Rico e das Ilhas Virgens na terça-feira à noite e na quarta-feira", acrescentou o NHC em seu comunicado.

O NHC emitiu advertências de furacão para as ilhas de Dominica, São Cristóvão e Névis, Montserrat, Martinica, Porto Rico (particularmente para suas ilhas Vieques e Culebra) e as Ilhas Virgens americanas e britânicas.

Também emitiu avisos de furacão para Saba, Santo Eustáquio, São Bartolomeu (Saint Barth), São Martinho (Saint Martin) e Anguila.

- Europa envia ajuda -França, Reino Unido e Holanda foram criticados pela demora em enviar ajuda e reforços policiais às suas ilhas após a passagem de Irma.

No domingo, a Cruz Vermelha transportou 11 toneladas de ajuda procedente da Holanda para Saint Martin, ilha dividida em duas zonas, uma francesa e outra holandesa.

A Marinha holandesa indicou que algumas tropas se dirigiam para as ilhas de Saba e Santo Eustáquio, que registraram saques após a passagem de Irma, para garantir a segurança da região.

Depois de ser acusado de falhar na prevenção durante a passagem do Irma, o ministro francês do Interior, Gérard Collomb, anunciou no domingo (17) que enviará cerca de 110 membros da Defesa Civil.

Mas Collomb advertiu que haverá "problemas maiores" se Guadalupe for golpeada com força, pois o território é o centro logístico a partir de onde a França envia ajuda a Saint Martin e organiza os transportes aéreos.

A previsão é que Maria chegue ao sul de Saint Martin (holandesa) na terça-feira. Irma deixou 14 mortos em sua passagem nesta ilha.

- Voos cancelados -As companhias aéreas Air France, Air Caraibes e Corsair cancelaram os voos com procedência ou destino na Martinica e Guadalupe.

Um segundo furacão, José, também está ativo no Atlântico e desencadeou alertas de tempestades tropicais para o nordeste dos Estados Unidos.

Irma, que deixou cerca de 40 pessoas mortas no Caribe antes de atingir a Flórida, onde morreram ao menos 20 pessoas, bateu recordes com ventos de até 295 km/h.

burs-meb-me/jvb-es/an/db

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos