Furacão Maria atinge categoria máxima em passagem pelo Caribe

Pointe-à-Pitre, 19 Set 2017 (AFP) - O furacão Maria atingiu a Dominica nesta segunda-feira como categoria cinco, com força máxima, passando pelas ilhas do Caribe, que ainda se recuperam de Irma, informaram meteorologistas norte-americanos.

O furacão tocou solo por volta das 01H15 GMT (22H15 horário de Brasília) com os ventos superiores a 257 quilômetros por hora, afirmou o Centro Nacional de Furacões, com sede em Miami, citando dados de radar da Martinica e da Força Aérea Hurricane Hunter.

Maria se tornou ao cair da noite um furacão "potencialmente catastrófico" e "extremamente perigoso" em seu trajeto rumo ao nordeste, que o levará na quarta-feira a passar por Porto Rico.

Desde a tarde, moradores de Dominica, que tem 73 mil habitantes, reportaram nas redes sociais chuvas intensas, fortes ventos, inundações e ondas no litoral.

O ciclone atingiu ventos de até 257 quilômetros por hora enquanto se encontrava a apenas 25 quilômetros de Dominica à 00h00 GMT de terça-feira (21H00 de segunda-feira, horário de Brasília).

O primeiro-ministro de Dominica, Roosevelt Skerrit, ordenou aos moradores que vivem nas áreas baixas que se retirassem para as zonas mais altas.

"Não esperem que o rio transborde para então tentar cruzá-lo ou caminhar através de ruas inundadas", advertiu em coletiva de imprensa.

As ilhas francesas de Martinica e Guadalupe passaram nesta segunda-feira o alerta "violeta", o nível máximo nivel, que leva ao confinamento da população.

"Tenho velas, lâmpadas e comida. Tenho verduras em conserva e gás. Se não houver eletricidade, aguentarei. As janelas estão fechadas, tudo está tapado", diz à AFP Anne-Marie, de 84 anos, moradora de Rivière-Salée, no sul de Martinica, preparada para a chegada do ciclone.

As autoridades francesas ordenaram a evacuação imediata das zonas de risco de Guadalupe, outra ilha francesa na região.

Maria atingirá "o extremo nordeste do Mar do Caribe na terça-feira e se aproximará de Porto Rico e das Ilhas Virgens na terça-feira à noite e na quarta-feira", acrescentou o NHC em seu comunicado.

O NHC emitiu advertências de furacão para as ilhas de Dominica, São Cristóvão e Névis, Montserrat, Martinica, Porto Rico (particularmente para suas ilhas Vieques e Culebra) e as Ilhas Virgens americanas e britânicas.

Também emitiu avisos de furacão para Saba, Santo Eustáquio, São Bartolomeu (Saint Barth), São Martinho (Saint Martin) e Anguila.

Na República Dominicana, as autoridades decretaram a evacuação preventiva das zonas vulneráveis, que devem sentir os efeitos de Maria a partir de quarta-feira.

O diretor do Centro de Operações de Emergências (COE), Juan Manuel Méndez, disse em entrevista coletiva que as evacuações ocorrerão até a tarde de quarta-feira.

Nove das 32 províncias da República Dominicana estão em alerta por causa de Maria, a maior parte no norte do país.

- Europa envia ajuda -França, Reino Unido e Holanda foram criticados pela demora em enviar ajuda e reforços policiais às suas ilhas após a passagem de Irma.

No domingo, a Cruz Vermelha transportou 11 toneladas de ajuda procedente da Holanda para Saint Martin, ilha dividida em duas zonas, uma francesa e outra holandesa.

A Marinha holandesa indicou que algumas tropas se dirigiam para as ilhas de Saba e Santo Eustáquio, que registraram saques após a passagem de Irma, para garantir a segurança da região.

Depois de ser acusado de falhar na prevenção durante a passagem do Irma, o ministro francês do Interior, Gérard Collomb, anunciou no domingo (17) que enviará cerca de 110 membros da Defesa Civil.

Mas Collomb advertiu que haverá "problemas maiores" se Guadalupe for golpeada com força, pois o território é o centro logístico a partir de onde a França envia ajuda a Saint Martin e organiza os transportes aéreos.

A previsão é que Maria chegue ao sul de Saint Martin (holandesa) na terça-feira. Irma deixou 14 mortos em sua passagem nesta ilha.

- Voos cancelados -As companhias aéreas Air France, Air Caraibes e Corsair cancelaram os voos com procedência ou destino na Martinica e Guadalupe.

Um segundo furacão, José, também está ativo no Atlântico e desencadeou alertas de tempestades tropicais para o nordeste dos Estados Unidos.

Irma, que deixou cerca de 40 pessoas mortas no Caribe antes de atingir a Flórida, onde morreram ao menos 20 pessoas, bateu recordes com ventos de até 295 km/h.

burs-meb-me/jvb-es/an/db

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos