Lady Gaga e Ariana Grande pedem controle de armas após massacre em Las Vegas

Nova York, 2 Out 2017 (AFP) - Lady Gaga e Ariana Grande pediram nesta segunda-feira aos líderes americanos que ajam rapidamente para endurecer as leis de armas após o massacre em Las Vegas, enquanto outros artistas se manifestavam comovidos pelo tiroteio mais violento na história recente dos Estados Unidos.

Enquanto a maioria dos artistas limitou as mensagens a sinais de condolências após o ataque em um festival de música country, no qual morreram 58 pessoas, Lady Gaga usou a sua influência nas redes sociais para pressionar os políticos.

"Isso é terrorismo puro e simples. O terror não tem raça, gênero, ou religião. Democratas e republicanos, por favor, se unam agora", escreveu a estrela do pop em sua conta no Twitter, a sétima mais popular da rede social com mais de 71 milhões de seguidores.

A cantora chamou a atenção do presidente da Câmara de Representantes, Paul Ryan, que, assim como o presidente Donald Trump e outros líderes republicanos, é fervorosamente contrário a regular a posse de armas.

"Orações são importantes, mas @SpeakerRyan e @realDonaldTrump estão com as mãos sujas de sangue porque têm o poder de legislar. Lei (para o) #GunControl rápido", tuitou.

Ariana Grande - que em maio viveu uma situação com essas características, quando um seguidor do grupo Estado Islâmico matou 22 pessoas que foram a seu show em Manchester - disse que não via diferença com o ataque em Las Vegas, onde as motivações do atirador ainda não ficaram claras.

"Meu coração está destruído por Las Vegas. Precisamos de amor, unidade, paz, controle de armas e que as pessoas olhem para isso e chamem do que é = terrorismo", tuitou Ariana.

Taylor Swift, que começou cantando músicas country e se tornou uma superestrela do pop e é a quarta pessoa com mais seguidores no Twitter, se manteve distante da política e declarou: "não existem palavras para expressar a impotência e a dor que meu coração está sentindo pelas vítimas de (Las) Vegas e suas famílias".

Na mesma linha, Rihanna tuitou: "rezando por todas as vítimas e seus entes queridos, e também pelos moradores e turistas de Las Vegas! Isso foi um horrível ato de terror!".

O massacre de domingo à noite, que provocou 58 mortos e deixou mais de 500 feridos, ocorreu em um show do cantor de música country Jason Aldean, que lidera os rankings e cujas canções falam dos valores e das reivindicações da classe trabalhadora dos Estados Unidos.

Aldean disse no Instagram que o massacre era "mais que terrível" e escreveu que "parte o meu coração que isso tenha acontecido com quem simplesmente foi aproveitar o que deveria ser uma noite divertida".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos