Legislador 'pró-vida' dos EUA desiste de reeleição após aborto da amante

Washington, 5 Out 2017 (AFP) - O republicano Tim Murphy, que patrocinou na Câmara de Representantes dos Estados Unidos um projeto de lei para penalizar o aborto tardio, anunciou nesta quarta-feira que não tentará a reeleição no próximo ano, após a revelação de que sua amante abortou com seu consentimento.

"Após conversar com minha família e equipe, decidi não tentar a reeleição para o Congresso ao final do atual mandato", anunciou Murphy, popular entre os membros do movimento pró-vida, em entrevista ao jornal Pittsburgh Post-Gazette.

"Planejo passar os meses que me restam no cargo fazendo o meu trabalho como líder nacional da reforma da saúde mental, assim como em outros assuntos que afetam as famílias trabalhadoras do sudoeste da Pensilvânia".

Murphy, 65 anos, admitiu no mês passado que manteve um romance extraconjugal com Shannon Edwards, uma psicóloga que trabalhou com ele na lei sobre saúde mental.

Na terça-feira, o Gazette revelou que Edwards enviou uma mensagem de texto a Murphy em janeiro na qual criticava sua posição contra o aborto: "não vê problema em publicar sua posição pró-vida por todos os cantos quando não teve qualquer problema em me pedir para abortar nosso filho na semana passada, quando avaliamos as opções"?!

O chefe do comitê nacional republicano no Congresso, Steve Stivers, se disse "extremamente decepcionado" com a conduta de Murphy.

mlm/ia/lr

MURPHY OIL

Facebook

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos