Chefe de polícia e separatistas catalães são liberados após declarar secessão

Madri, 6 Out 2017 (AFP) - O comandante da polícia regional catalã, Josep Lluís Trapero, uma subalterna e dois destacados líderes separatistas foram liberados e sem medidas cautelares depois de prestarem depoimento à justiça espanhola, informou à AFP uma fonte judicial.

A procuradoria não pediu medidas preventivas contra Trapero, Jordi Sánchez, Jordi Cuixart e a intendente da polícia catalã, Teresa Laplana. Laplana depôs por videoconferência por motivo de saúde.

Cuixart, presidente de Òmnium Cultural, afirmou que sua associação não reconhece "a competência" do tribunal, e se reservou o direito de nada declarar, porque acreditam que não cometeram o delito de secessão, que pode ser punido com até 15 anos de prisão.

Os quatro compareceram à Audiência Nacional, um alto tribunal, pelo protesto ocorrido em Barcelona no dia 20 de setembro, no qual centenas de manifestantes impediram durante horas a saída de guardas civis de uma dependência do governo regional catalão onde estavam efetuando registros.

Três veículos do instituto armado foram destruídos.

Sánchez e Cuixart se dirigiram à multidão que subiam nesses veículos, e pediram "mobilização permanente", segundo os autos da Audiência Nacional no qual foi admitido a denúncia por secessão.

Jordi Sánchez, presidente da Assembleia Nacional Catalã, afirmou que o ato "foi uma manifestação pacífica", e que seu objetivo era protestar pelas ações policiais que nesse dia haviam detido 14 altos cargos catalães, relacionados com a organização do referendo de independência proibido de 1º de outubro.

avl-al/ra/cc

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos