Escola catalã é investigada por incitar o ódio contra filho de guarda civil

Em Barcelona

  • JAVIER SORIANO/AFP

    1°.out.2017 - Nacionalistas marcham com a bandeira da Espanha a favor da unidade espanhola e contra a separação da Catalunha

    1°.out.2017 - Nacionalistas marcham com a bandeira da Espanha a favor da unidade espanhola e contra a separação da Catalunha

Um tribunal anunciou nesta terça-feira (10) a abertura de diligências contra dois professores e o diretor de uma escola catalã por delito de incitação ao ódio supostamente perpetrado contra o filho de um guarda civil.

Os fatos haviam ocorrido na escola de Seu d'Urgell, nos Pirineus, nos dias que seguiram ao referendo de independência de Catalunha de 1 de outubro, no qual agentes da Guarda Civil utilizaram a força contra os eleitores em vários centros para apreender as urnas.

O tribunal recebeu denúncias dos pais de várias crianças que reportavam "diferentes comentários realizados por professores, assim como atitudes amparadas pelo diretor do indicado centro escolar", afirma o auto judicial, que não disse qual foi o centro escolar por razões de confidencialidade.

"Pode ser que os professores indicados e o diretor do centro educativo incitaram de maneira direta a seus alunos (muito novos)" ao "ódio, à hostilidade e à violência contra os referidos grupos ou associações", disse o auto judicial.

Trata-se do primeiro processo aberto contra um centro escolar catalão por delitos deste tipo.

Catalunha, Escócia e outros: as aspirações separatistas na Europa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos