Ex-primeiro-ministro português acusado formalmente de corrupção

Lisboa, 11 Out 2017 (AFP) - O ex-primeiro-ministro português José Sócrates foi formalmente acusado de corrupção como parte de uma vasta investigação iniciada em 2014, anunciou nesta quarta-feira (11) a Procuradoria Federal portuguesa.

Suspeita-se que o ex-líder socialista embolsou cerca de 24 milhões de euros em propinas.

Sócrates é acusado de 31 crimes, incluindo corrupção passiva, lavagem de dinheiro, fraude fiscal agravada e falsificação de documentos, informou a Procuradoria em um comunicado que resume as acusações contra o político e outras 18 pessoas e nove empresas.

Sócrates foi chefe do governo socialista entre 2005 e 2011, e os crimes teriam sido cometidos entre 2006 e 2015.

Sócrates e seus cúmplices supostamente esconderam na Suíça uma soma estimada em "mais de 24 milhões de euros" em troca de favores concedidos a várias empresas, inclusive o banco Espirito Santo, que quebrou em 2014.

Desde a sua espetacular prisão em novembro de 2014, o ex-político de 60 anos alega inocência. "A acusação não tem base", reagiram os advogados de Sócrates antes as acusações da Procuradoria.

lf/tsc/sg/jz/mb/mr

PORTUGAL TELECOM

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos