Santos propõe eleições gerais na Venezuela com órgão eleitoral 'independente'

Bogotá, 17 Out 2017 (AFP) - O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santo, sugeriu nesta terça-feira (17) "eleições gerais" na Venezuela com uma autoridade eleitoral "independente", diante do "não reconhecimento" dos resultados que deram vitória ao governo na votação para governadores no último domingo (15).

Santos não esclareceu se seu governo desconhece o triunfo do chavismo em 17 dos 23 governos regionais da Venezuela, segundo os dados do Conselho Nacional Eleitoral (CNE). O órgão é acusado pela oposição de servir ao governo de Nicolás Maduro.

"Diante do não reconhecimento de resultados eleitorais na Venezuela, a solução é: eleições gerais, observadores estrangeiros e CNE independente", afirmou Santos em sua conta do Twitter.

A oposição venezuelana pediu uma auditoria das eleições regionais, cujo resultado desconhece.

A situação, que antes tinha 20 governos, comemorou os resultados como uma vitória - pois as pesquisas davam à oposição a possibilidade de obter 18 estados. Segundo o CNE, as eleições foram transparentes.

Enquanto Maduro apoia uma auditoria dos resultados, Estados Unidos, França e União Europeia manifestaram sua preocupação com a "ausência" de eleições livres.

vel/lda/cc/tt

Twitter

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos