França aumenta imposto a grandes empresas para cumprir com déficit

Paris, 2 Nov 2017 (AFP) - A França anunciou nesta quinta-feira (2) que aumentará temporariamente os impostos sobre a renda das maiores empresas do país para cumprir com seu objetivo de déficit europeu.

O governo centrista do presidente Emmanuel Macron se comprometeu a reduzir este ano o déficit abaixo dos 3% do PIB, como Bruxelas exige.

No entanto, esse objetivo parecia estar em perigo depois que o Estado recebeu a ordem de devolver cerca de 10 bilhões de euros para grandes empresas.

O Conselho Constitucional decidiu invalidar um imposto de 3% sobre os dividendos aprovado em 2012 pelo então presidente François Hollande, que tinha o objetivo de estimular as companhias a reinvestir sua renda, criando um buraco no primeiro orçamento de Macron.

"Tínhamos que agir rápido", apontou o porta-voz do governo, Christophe Castaner, depois que o governo adotou em um conselho de ministros um imposto "excepcional" sobre a renda das 320 maiores empresas da França.

De 33,3% atualmente, a taxa do imposto corporativo aumentará para 38,3% para as empresas com faturamento de mais de um bilhão de euros em 2017 e até 43,3% para aquelas com rendas superiores a três bilhões de euros.

Espera-se que esta medida acrescente cinco bilhões de euros aos cofres do Estado, o que, junto com cortes adicionais ao gasto público, permitira à França manter seu objetivo de um déficit de 2,9%, disse o governo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos