Morre Nana, a golfinho fêmea que viveu mais tempo em cativeiro

Tóquio, 2 Nov 2017 (AFP) - Uma fêmea de golfinho morreu em um aquário do Japão algumas semanas depois de superar o recorde nacional de ter vivido quatro décadas em cativeiro, informou um funcionário nesta quinta-feira (2).

Nana, um golfinho nariz-de-garrafa, com idade estimada em 47 anos, foi encontrada afogada na terça-feira no Aquário de Shimoda, em Shizuoka (centro), explicou Kiyoshi Sakamoto.

Sua morte ocorreu menos de um mês depois de Nana completar 42 anos e dez meses sob cuidados humanos, batendo o recorde anterior, que pertenceu a um golfinho do Kamogawa Sea World, no sudeste de Tóquio.

No mês passado, Nana chamou a atenção da mídia com a façanha, teve o recorde reconhecido com um prêmio e um certificado especial de residente da cidade de Shimoda.

O aquário fará uma necropsia no cetáceo, pois até o momento se desconhecia a causa exata da morte, explicou Sakamoto, que contou que Nana havia perdido o apetite ultimamente.

"Nana era um símbolo do nosso aquário e seu comportamento amistoso atraiu montes de seguidores", lembrou Sakamoto.

"Sentimos muita falta dela", disse, acrescentando que o estabelecimento estuda fazer uma cerimônia em homenagem a ela.

Nana foi capturada em frente à costa de Ito em 1974. Desde então ela viveu no aquário, participando de shows de golfinhos, contou o funcionário.

Estes espetáculos são muito populares nos aquários japoneses. Mas alguns pescadores locais caçam estes animais para aproveitar sua carne, que consideram parte tradicional de sua dieta.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos