Venezuela: Parlamento rejeita julgamento do deputado Freddy Guevara

Caracas, 5 Nov 2017 (AFP) - O presidente do Parlamento venezuelano, Julio Borges, denunciou como "política", neste domingo (5), a decisão do Tribunal Supremo de Justiça de processar o deputado Freddy Guevara e disse que o órgão busca continuar enfraquecendo o Poder Legislativo, de maioria opositora.

"É uma medida política e arbitrária contra o deputado Freddy Guevara, vice-presidente da Assembleia Nacional", afirmou Borges em entrevista coletiva, destacando que a Casa tem o apoio de uma sociedade que votou em peso na oposição, em 2015.

Guevara, de 31 anos, foi no sábado à residência do embaixador chileno em Caracas em busca de abrigo, ao considerar sua detenção iminente, depois que o TSJ determinou à Justiça comum processá-lo por crimes, cujas penas chegam a até dez anos.

A corte notificou sua decisão à Assembleia Constituinte para suspender a imunidade de Guevara.

O Parlamento considera a medida ilegal, já que, segundo a Constituição, o foro parlamentar pode ser retirado apenas pelo próprio Legislativo. Este, por sua vez, não reconhece a Constituinte de Nicolás Maduro.

O governo acusa Guevara de estimular a violência nos protestos que exigiam a renúncia do presidente Maduro. Entre abril e julho passado, foram pelo menos 125 mortos em episódios violentos relacionados aos protestos.

"Há um alarme que se toma como extremamente grave: a arbitrariedade que significa ir contra o vice-presidente da Assembleia", completou Borges.

Guevara permanecia na sede diplomática chilena em Caracas, neste domingo, na qualidade de "hóspede".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos