Topo

Alto funcionário europeu vai a Brasília impulsionar diálogo com Mercosul

07/11/2017 20h45

Brasília, 7 Nov 2017 (AFP) - O vice-presidente da Comissão Europeia, Jyrki Katainen, se reunirá na sexta-feira (10) em Brasília com três chanceleres do Mercosul, no âmbito de uma nova rodada de negociações para alcançar um arrastado acordo comercial entre os dois blocos.

O acordo ainda não foi fechado, devido, principalmente, a discrepâncias sobre as cotas de carne e etanol, dois produtos sensíveis para o mercado europeu.

"Vemos isso (a visita de Katainen) como uma demonstração de vontade política" de parte do bloco europeu, afirmou nesta terça-feira uma fonte próxima às negociações, que ocorrem mensalmente em Brasília.

Katainen, um dos vice-presidentes do organismo europeu, se reunirá com os ministros das Relações Exteriores de Brasil, Uruguai e Argentina, acrescentou a mesma fonte. O chanceler do Paraguai, que também integra a união alfandegária sul-americana, não poderá comparecer, devido a outros compromissos no exterior.

A equipe de negociações do Mercosul saiu frustrada da última sessão de diálogos em outubro, já que a oferta europeia de importar 70.000 toneladas anuais de carne bovina e de 600.000 toneladas de etanol está abaixo do esperado.

A proposta europeia é inferior às 100.000 toneladas de carne e o milhão de toneladas de etanol que havia oferecido durante o intercâmbio de ofertas de 2004, contrariando o entendimento de que qualquer cota deveria melhorar as desse ano.

Do outro lado do Oceano Atlântico, alguns países afirmam que a entrada destes produtos sul-americanos prejudicaria os produtores locais desestabilizando o mercado interno, mas os negociadores do Mercosul asseguram que esta cota de carne não superaria o 1% do consumo doméstico europeu.

Ambos os blocos tentam alcançar um acordo comercial desde 1999. Em 2004, a negociação foi suspensa e acaba de ser retomada seis anos depois com o compromisso de melhorar as ofertas originais.

Atualmente, buscam alcançar um acordo de caráter principalmente político na reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC) prevista para dezembro em Buenos Aires.