Parlamento francês suspende imunidade de Marine Le Pen por fotos no Twitter

Paris, 8 Nov 2017 (AFP) - O Parlamento francês suspendeu nesta quarta-feira (8) a imunidade da líder de extrema direita, Marine Le Pen, por fotos de vítimas do grupo extremista Estado Islâmico que ela difundiu pelo Twitter, uma decisão que a deputada denunciou como uma "baixeza politiqueira".

Em dezembro de 2015, a líder da Frente Nacional postou três fotos sob o título "Isto é o Daesh!", que mostravam, sucessivamente, um prisioneiro do EI esmagado por um tanque, outro em chamas dentro de uma jaula e um homem decapitado com a cabeça apoiada nas costas.

A foto do recém-decapitado era do corpo do americano James Foley, e Le Pen teve que retirá-la depois que a família expressou ter se sentido "profundamente chocada" com seu ato.

Le Pen é investigada pela Justiça francesa por estes tuítes, e ao ter suspensa a imunidade parlamentar, deverá comparecer perante um juiz.

"A liberdade de expressão e de denúncia, consubstacional com o papel de deputado, morreu com esta decisão de baixeza politiqueira", reagiu Le Pen em declarações à AFP.

"É melhor ser um jihadista que volta da Síria do que uma deputada que denuncia as aberrações do EI", acrescentou.

Le Pen e outro deputado da FN, Gilbert Collard, de quem o Parlamento já suspendeu a imunidade, tinham decidido divulgar estas imagens para protestar contra a comparação feita por um jornalista, Jean-Jacques Bourdin, entre a FN e o EI.

reb-frd/jk/ces/jz/mb/mvv

TWITTER

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos