Mais de 200 pessoas são presas por corrupção na Arábia Saudita

Riade, 9 Nov 2017 (AFP) - Mais de 200 pessoas foram presas na Arábia Saudita como parte de uma operação anticorrupção sem precedentes realizada recentemente no reino, informou nesta quinta-feira em um comunicado o procurador-geral do país.

A operação atingiu príncipes, ministros e empresários, e diz respeito a desvios de fundos que chegariam a 100 bilhões de dólares em dez anos, segundo a mesma fonte.

"Um total de 208 pessoas foram convocadas para interrogatório até o momento. Dessas 208 pessoas, sete foram liberadas sem acusação. A amplitude potencial dos atos de corrupção revelados é enorme", indicou o ministério da Informação.

Príncipes, incluindo o famoso bilionário Al-Walid bin Talal, ministros e empresários foram apreendidos no sábado à noite durante uma operação que se seguiu ao estabelecimento de uma nova comissão anticorrupção presidida pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salmane.

As autoridades congelaram as contas bancárias dos acusados e anunciou que qualquer atividade relacionada a temas de corrupção seria confiscada como propriedade do Estado.

Com o expurgo que os analistas descrevem como um ousado, e arriscado, jogo de poder, o príncipe Mohamed parece querer centralizar o poder em um nível sem precedentes na história recente de seu país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos