Ex-diretores do serviço de inteligência sul-coreano detidos por corrupção

Seul, 17 Nov 2017 (AFP) - Dois ex-diretores do serviço de inteligência da Coreia do Sul foram detidos nesta sexta-feira por suspeitas de desvio de fundos para o entorno da ex-presidente Park Geun-Hye, destituída por seu envolvimento em um escândalo de corrupção.

A justiça acusa Nam Jae-Joon e Lee Byung-Kee, ex-diretores do Serviço Nacional de Inteligência (NIS), pelo desvio de 4 bilhões de wons (3,6 milhões de dólares) do orçamento da agência para repassá-los a colaboradores de Park.

O tribunal do distrito central de Seul autorizou as ordens de prisão contra os dois, alegando risco de fuga ou de destruição de provas.

Nam e Lee, diretores do NIS entre 2013 e 2015, quando Park estava na presidência, são suspeitos de fraude e corrupção.

De acordo com a imprensa, os dois afirmaram ao Ministério Público que enviaram "pagamentos mensais" a colaboradores de Park, a pedido destes. A acusação afirma que os dois desejavam uma troca de favores para suas carreiras.

Dois ex-conselheiros de Park foram detidos no início do mês como suspeitos de receber a verba desviada. A imprensa informa que eles alegam ter atuado sob ordens da ex-presidente.

Park, a primeira mulher que chegou à presidência da Coreia do Sul, sofreu um impeachment em março e foi indiciada em abril por um escândalo de corrupção que envolve grandes empresas do país como a Samsung.

O escândalo tem como ponto central a melhor amiga de Park, Choi Soon-Sil, acusada de exigir grandes quantias de dinheiro das empresas.

As duas estão em prisão preventiva e são julgadas por corrupção e abuso de poder.

jhw/ev/plh/gm/fp

SAMSUNG ELECTRONICS

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos