Arábia Saudita enfrentará política "agressiva" do Irã

Cairo, 19 Nov 2017 (AFP) - O chefe da diplomacia saudita, Adel al Jubeir, afirmou que seu país não ficará de braços cruzados" diante da política "agressiva" do Irã, em uma reunião extraordinária da Liga Árabe neste domingo.

As tensões aumentaram nos últimos meses entre os rivais Arábia Saudita -sunita- e Irã -xiita-, pesos pesados do Oriente Médio que se opõem em vários conflitos regionais, entre eles as guerras no Iêmen e na Síria, e o assunto libanês.

"A Arábia Saudita não ficará de braços cruzados diante das agressões do Irã e não poupará qualquer esforço para defender a segurança nacional e proteger seu povo", disse o ministro saudita.

O chefe da diplomacia de Bahrein, país aliado da Arábia Saudita, também criticou o Irã e os movimentos que lhe são leais.

O Irã possui "braços na região", afirmou o xeque Jaled bin Ahmad Al Jalifa. "O maior braço do Irã na região neste momento é o braço terrorista Hezbollah", acrescentou referindo-se ao movimento libanês.

"A República libanesa (...) está sob controle total desse partido terrorista", acrescentou o ministro do Bahrein.

A Arábia Saudita pediu a reunião da Liga Árabe para buscar "medios para enfrentar as intervenções iranianas nos países árabes e seus ataques à segurança do país".

A Arábia Saudita convocou esta reunião de ministros das Relações Exteriores na sede da Liga Árabe, no Cairo, para debater as "violações" cometidas pelo Irã depois da interceptação de um míssil perto de Riad em 4 de novembro, um ataque reivindicado pelos rebeldes xiitas huthis do Iêmen.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos