Trump afirma que 'devem escutar' candidato acusado de assédio sexual

Washington, 21 Nov 2017 (AFP) - O presidente americano, Donald Trump, ofereceu nesta terça-feira (21) uma forma de ajuda ao candidato republicano ao Senado do Alabama, Roy Moore, acusado de assédio sexual contra adolescentes, ao fazer eco de sua negativa e atacar seu rival democrata.

"Não precisamos de um liberal ali, um democrata", disse Trump ao partir rumo à Flórida, onde passará o feriado de Ação de Graças.

Moore, um ex-juiz que aspira a uma cadeira no Senado, é acusado de conduta sexual inapropriada com várias adolescentes no fim da década de 1970.

Trump destacou reiteradamente que Moore "nega totalmente" as acusações. "Também devem escutá-lo", afirmou.

A Casa Branca disse previamente que Trump considerava "muito perturbadoras" as acusações contra Moore.

Vários senadores republicanos, incluindo o líder da maioria, Mitch McConnell, pediram a Moore que abandone a disputa pela cadeira na Câmara alta, mas ele se nega a fazer isto.

Trump também criticou o rival democrata Doug Jones, que lidera as pesquisas por uma margem de 47% contra 42%.

"Olhei seu histórico, é terrível na fronteira", disse Trump.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos