PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Rajoy promete dialogar 'com todos' após eleições catalãs

22/11/2017 19h58

Barcelona, 22 Nov 2017 (AFP) - O chefe de governo espanhol, Mariano Rajoy, assegurou nesta quarta-feira (22) em Barcelona que dialogará com todas as forças políticas relacionadas às eleições catalãs de dezembro, embora também solicite que elas respeitem a lei, fazendo referência às forças separatistas.

"Depois das eleições, além do resultado das urnas, continuarei sendo presidente de todos e dialogarei com todos, porém, da mesma forma, exigirei que todos respeitem o marco da Constituição e a lei", disse Rajoy, durante um jantar empresarial da principal patronal catalã, Foment del Treball Nacional (Fomento do Trabalho Nacional).

Seu executivo conservador interviu no dia 27 de outubro na região e destituiu o governo regional de Carles Puigdemont, que tinha iniciado um processo de secessão que no mesmo dia culminou em uma declaração de independência no parlamento regional.

Também dissolveu a câmara e convocou eleições regionais para o dia 21 de dezembro, cuja previsão é de disputa acirrada entre independentistas e não-independentistas em uma região que está bastante dividida.

A crise elevou a tensão política e social na Catalunha, além de provocar a retirada de quase 2.700 empresas da região desde 1º de outubro, quando ocorreu o referendo de autodeterminação, esse considerado inconstitucional.

Rodeado de empresários, Rajoy lhes pediu ajuda "para que a confiança na Catalunha renasça". "Não retirem mais empresas da Catalunha, contribuam para a cicatrização das feridas e a volta da normalidade", advertiu.

Os empresários, por sua vez, questionaram a respeito de uma solução para a crise política e, até mesmo o presidente da patronal catalã, Joaquim Gay de Montellà, reivindicou um plano que possa minimizar os seus efeitos negativos.

"Teremos nas próximas semanas quase que uma última oportunidade para buscar soluções que sirvam como pontes para reparar muitas das coisas que foram danificadas", afirmou por outro lado o líder da patronal espanhola CEOE, o catalão Juan Rosell.

Situada no extremo nordeste da Espanha, a Catalunha, com seus 7,5 milhões de habitantes, funciona como um motor econômico do país, ao representar 19% de sua riqueza total e o primeiro lugar em exportações e turismo.

Internacional