PUBLICIDADE
Topo

Desabamento em casa noturna das Ilhas Canárias fere 40 pessoas

Bomberos de Tenerife/AFP
Imagem: Bomberos de Tenerife/AFP

Em Madri

26/11/2017 14h35

Quarenta pessoas ficaram feridas na madrugada deste domingo (26), quando uma parte do piso de uma discoteca de Tenerife, nas Ilhas Canárias, afundou, derrubando os presentes ao subsolo, segundo autoridades locais.

Dois franceses, um belga, um britânico e um romeno estão entre os feridos, a maioria deles com fraturas, torções, ou contusões.

O Ministério britânico de Relações Exteriores declarou que estava em contato com "um certo número de cidadãos britânicos" feridos no acidente.

O socorro chegou a Adeje, no sudoeste da ilha espanhola, às 2h30 locais (23h30 de sábado, em Brasília), após receber a informação de que 4 m² do chão tinham desabado, disse o governo regional em um comunicado.

"As pessoas lá dentro caíram no subsolo, tombando da altura de um andar", indica a nota.

O piso ruiu na frente do palco da Butterfly Disco Club, uma festa gay popular em Tenerife, que teria espetáculos de drag queens e go-go dancing na noite de sábado, segundo sua página no Facebook.

Um vídeo publicano no Twitter pelos bombeiros mostra os escombros no subsolo da discoteca, que fica num centro comercial.

O subsolo, onde fica uma sala de jogos, não estava sendo usado neste noite, declarou o prefeito de Tenerife, Miguel Rodriguez Fraga, em uma entrevista coletiva.

"Não tinha ninguém lá embaixo, estava vazio", disse ele.

Os bombeiros evacuaram a discoteca e levaram 21 feridos, dois em estado grave, ao hospital. Uma pessoa foi atendida no local e outras 18 se dirigiram ao centro de tratamento por conta própria, indicou o prefeito de Tenerife.

Segundo Fraga, a licença do estabelecimento está em dia e a discoteca não parecia estar muito cheia quando o chão desabou. Uma investigação foi aberta pela polícia.

Localizado na costa oeste da África, o arquipélago das Ilhas Canárias recebeu 13,3 milhões de turistas estrangeiros no ano passado, tornando-se a segunda região mais visitada da Espanha, depois da Catalunha.