Dois policiais mortos a tiros durante toque de recolher em Honduras

Tegucigalpa, 4 dez 2017 (AFP) - Dois policiais morreram em Honduras atacados a tiros por desconhecidos durante o toque de recolher decretado para frear mobilizações violentas da oposição, em meio às agitadas eleições do país da América Central, informaram as autoridades nesta segunda-feira (4).

O porta-voz da Polícia, Jair Meza, relatou à AFP que na noite de domingo policiais patrulhavam o departamento de Olancho (leste) e "em cumprimento ao toque de recolher falaram com dois indivíduos que estavam em outro veículo".

Ao invés de pararam diante do sinal dos agentes, os dois desconhecidos atacaram a tiros os policiais e os mataram, indicou Meza.

O governo decretou estado de exceção durante 10 dias na noite de sexta-feira, incluindo um toque de recolher noturno, para frear as violentas manifestações que derivaram em roubos em diferentes cidades do país.

A esquerdista Aliança de Oposição Contra a Ditadura, que postula como candidato à Presidência o apresentador de televisão Salvador Nasralla, convocou seus simpatizantes para protestos denunciando uma fraude.

O ex-presidente Manuel Zelaya e Nasralla reclamam a vitória sobre o presidente de direita Juan Orlando Hernández, que busca a reeleição, e acusaram o governo de tentar infiltrar pessoas em suas manifestações para provocar atos de violência e roubos.

Uma jovem morreu na sexta-feira pouco antes do início do toque de recolher.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos