Ex-presidente georgiano é liberado em investigação criminal na Ucrânia

Kiev, 5 dez 2017 (AFP) - O ex-presidente georgiano Mijaíl Saakashvili, opositor ao poder ucraniano, foi liberado nesta terça-feira pouco depois de ser detido pela polícia em Kiev, enquanto centenas de seus partidários bloqueavam o furgão no qual os agentes o transportavam.

Saakashvili saiu do veículo policial e se dirigiu ao Parlamento na companhia de seus apoiadores.

O jornalista da AFP presente no local não conseguiu averiguar, pela multidão que cercava o furgão, se a libertação foi resultante de uma intervenção de seus apoiadores ou se a polícia cedeu diante do grande número de pessoas.

"Peço a todo mundo que compareça à frente do Parlamento ucraniano para exigir a renúncia do presidente" ucraniano Petro Poroshenko, disse Saakashvili.

Os serviços de segurança ucranianos (SBU) haviam detido nesta terça-feira o ex-presidente georgiano Mijaíl Saakashvili após uma busca em seu domicílio de Kiev no contexto de uma investigação criminal.

Saakashvili, feroz opositor ao presidente Petro Poroshenko que lhe retirou sua nacionalidade ucraniana é acusado de "cumplicidade com uma organização criminosa", um delito que pode levar a entre três e cinco anos de prisão, segundo um comunicado do SBU. Saakashvili atribui o caso a uma invenção incentivada pelo presidente Poroshenko.

Saakashvili é suspeito de ter tentado "conquistar o poder pela força" durante manifestações anticorrupção, segundo o procurador-geral Yuri Lutsenko, que acusou o opositor de receber financiamento do ex-presidente ucraniano pró-russo Víctor Yanukóvich, que deixou o poder em 2014 após as manifestações pró-europeias de Maidan em Kiev.

os-pop/nm/jh/gm.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos