Reconhecer Jerusalém como capital de Israel acabaria com esforço de paz de Trump

Em Jerusalém

Nabil Chaath - conselheiro de alto escalão do presidente palestino, Mahmud Abbas - alertou o presidente americano, Donald Trump, que Washington acabará com os esforços de paz de sua administração, caso reconheça Jerusalém como capital de Israel.

"Não aceitaremos a mediação dos Estados Unidos, não aceitaremos a mediação de Trump. Será o fim do papel desempenhado pelos americanos neste processo", disse Chaath à imprensa, enquanto a comunidade internacional aguarda a decisão de Trump sobre a possível transferência de sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém.

Chaath também alertou para a reação das ruas palestinas e árabes.

"Não sei se isso provocará distúrbios, mas haverá, sem dúvida, manifestações populares em toda parte. Espero que não haja violência", disse.

"Mas podem explodir distúrbios no mundo árabe, que não poderemos controlar", acrescentou.

Chaath usou palavras incomumente duras contra o governo Trump e, em particular, contra o fato de que não se tenha pronunciado a favor da criação de um Estado palestino junto com Israel, a chamada solução de dois Estados, que continua sendo a referência na comunidade internacional.

"Teríamos aceitado o procedimento americano, se [tivesse se] comprometido a respeitar as regras do jogo", declarou Chaath.

"Não pedimos nada além da solução de dois Estados. Trump e seu governo estão violando [esse princípio]. Não respeitam as regras, e nós não vamos respeitar as suas", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos