PUBLICIDADE
Topo

Internacional

CIDH condena Honduras por morte de candidato a deputado

19/12/2017 21h01

San José, 19 dez 2017 (AFP) - A Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) condenou Honduras pela "falta de uma investigação diligente" do homicídio do candidato a deputado Ángel Pacheco León, ocorrido em 2001, anunciou o tribunal nesta terça-feira (19).

Segundo o tribunal continental com sede na Costa Rica, o Estado hondurenho "não fez uma investigação diligente que permitisse, em um prazo razoável, avançar na determinação dos feitos e as responsabilidades" e, por isso, o caso continua na impunidade.

Considerou que "Honduras violou os direitos às garantias judiciais e à proteção judicial prejudicando 19 familiares" da vítima.

Pacheco León, dirigente do Partido Nacional (direita) no departamento de Valle, foi assassinado em 23 de novembro de 2001 quando chegava em casa, junto com seu filho Jimmy, por um homem que atirou nele várias vezes.

No dia seguinte, três homens foram presos e interrogados como suspeitos pelo homicídio, embora posteriormente tenham sido desvinculados do caso.

Como reparação, o tribunal ordenou continuar a investigação do caso, determinar as causas do atraso no processo e compensar a família por danos materiais e imateriais, assim como pelos gastos decorrentes da morte de Pacheco León.

Internacional